Translate

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

CHEGA DE PRINCESA!!!

Eu penso sobre o que é ser mulher. Como eu penso! Eu juro que penso, mas não entendo nada! Não sei de nada! Só sei que ultimamente não consigo assistir os filmes da Disney da mesma forma, minha gente.
Fui assistir o novo filme com minha sobrinha de 5 anos e saí de lá pensando que poderia ter assistido algo melhor com ela. De cara, tinha um vídeo do Mickey, antes do filme, em que logo no começo a Clarabela se oferece na beira da estrada mostrando as tetas. Ela é desprezada o vídeo inteiro depois disso. Fora outras coisas que me incomodaram nesse curta-metragem, o longa (Frozen) me decepcionou tanto nas personagens femininas, que naturalmente são princesas, mas num retrocesso de imagem enorme. Futilidade por cima de futilidade! Não dá, chega!
Sim, sim, eu cresci adorando os filmes da Disney. Assisti A Bela Adormecida 26 vezes, cantava todas as músicas dos filmes, sabia as falas do Rei Leão decoradas. Mas qual é Disney? Gerações e gerações petrificando a imagem feminina? Moldando pra que continue tudo na mesma? E não adianta vir argumentar com Mulan ou Valente porque continuam princesas, a Mulan ainda arranja marido do mesmo jeito, viram bonecas com feições mega docilizadas e os papéis masculinos em nenhum dos filmes são questionados (o que pra mim é dizer de outra forma que ali vai tudo bem e está tudo do jeito que tem que ser).
Estou falando da Disney, mas sei que é muito mais que essa marca e vai muito além disso. Mas foi assistindo ao novo filme do estúdio que me deu vontade de falar sobre o assunto.
Nunca me sinto preparada pra falar de nenhum assunto polêmico porque eu nunca fui uma pessoa de gostar de polêmica. Mas assim como com a política, como falei no post sobre os protestos de junho, tenho lido mais, pensado mais e comentado mais sobre feminismo. Só recentemente tenho pensado mais sobre os freios, rótulos, moldes e injustiças que acabamos todas nós mulheres vivenciando no nosso dia-a-dia, muitas vezes sem nem mesmo perceber e quase sempre achando muito natural e correto.
A culpa claro, como eu disse, não é só da Disney, mas chega de criar princesas e vamos criar mulheres!
E sim, tem três clipes que eu quero compartilhar porque mostram, de diferentes formas, um pouco do que eu tenho sentido e pensado. Eu teria que escrever muito mais pra falar de revelações que eu tive, mas esse blog não é pra isso, então, vamos aos clipes.

Ah, e por favor, me mostrem outros clipes! E por favor, refutem minhas opiniões, vamos discutir! Porque se não se fala nada, é como se não tivesse nada errado...

No Doubt - Just a Girl


Comecemos do começo. I'm just a girl. That's all that you'll let me beeeeeeeeee!!!!!!

Dirigido por: Mark Kohr

Data: fevereiro de 1996


The Knife - A tooth for an eye


Fiquei tão surpresa com a naturalidade com que tudo se passa nesse video. Porque se fosse um rapaz e um grupo de mulheres, ninguém esperaria que as moças estranhassem, questionassem e relutassem em segui-lo. Mas como era o inverso, seria esperado (não justo, mas esperado) que isso acontecesse e não acontece. A descrição no Vimeo diz tudo.


Dirigido por: Roxy Farhat & Kakan Hermansson
Data: março de 2013


Janelle Monáe - Q.U.E.E.N. feat Erykah Badu


Categorize me, I'll defy every label... Electric ladies, will you sleep? Or will you preach? Eu escolhi o último.

Dirigido por: Alan Ferguson
Data: setembro de 2013